– o Blogue é uma rede de ideias sobre Agricultura Irrigada –

– O nosso negócio é conhecimento inovador –

Notas iniciais de esclarecimento

  1. No nosso Grupo o Blogue Agricultura Irrigada (de precisão) e o Fórum Mundial de Agricultura Tropical são os componentes que reúnem ideias e proposições para o desenvolvimento da Agricultura na Região Tropical do Planeta. A ABADES – Agência Brasil-África para o Desenvolvimento Econômico e Social e o Consórcio BRAF são os componentes executores, respectivamente, do planejamento estratégico e de projetos/ações/atividades de produção, e o StartACT/SCP é o empreendimento que promove e fortalece o agronegócio sob a forma de uma Sociedade em Conta de Participação (SCP).
  2. Ainda quando na Faculdade, o Professor de Geometria Analítica ou Euclidiana dizia que atentássemos para o “olhar de pássaro ou de águia” versus o “olhar de sapo ou de rã”. Bem mais tarde, no CPAC da Embrapa o Coordenador da área de Recursos Naturais e Socioeconômicos, Dr. Luiz Azevedo, se referia á “mentira celeste versus a verdade terrestre”, e quando da realização da Conferência das Nações Unidas – Eco-Rio-92, o Dr. Maurice Strong lançou o slogan “pensar global e agir local”. Tudo a mesma coisa que os economistas chamam de “macro e microeconomia”.
  3. Para nós o macro é o agronegócio, em vários níveis e circunstâncias, e o micro é a produção e todos os insumos e serviços requeridos em nível do imóvel rural. O empreendimento StartACT/SCP tem esse enfoque.
  4. Para a Agricultura Irrigada (de precisão) essa questão é muito sugestiva. O pensar global (macro) pode muito bem ser a Fazenda ou o imóvel como um todo e a correspondente Gestão do Projeto, e o agir local (micro) pode ser a Gestão por Projetos de cada uma das ações, atividades e tarefas que a Fazenda executa em cada Plano Anual de Trabalho (PAT).
  5. A FAO vem anunciando que será preciso que dupliquemos a produção de alimentos até 2050 sendo 80% com aplicação de água (irrigação) e usando apenas mais 20% da água que utilizávamos em 2000. Isso elevaria a utilização de água para irrigação a 75 a 80% de toda a água doce do mundo. Não é por aí! Temos que produzir mais e melhor usando menos água do que usávamos em 2000. Isso é possível fazer nos trópicos e com agricultura irrigada.
  6. Assim como usamos da genética, dos adubos, defensivos agrícolas e da mecanização para a “Revolução Verde”, agora, em adição, usamos da água, do carbono, e usaremos da epigenética e de técnicas de precisão para a implantação da “Revolução Sempre Verde”.

A visão global do Planeta

O primeiro e prioritário elemento de análise nesse nível é, sem dúvida, a humanidade, suas concentrações, distribuição, hábitos de vida e alimentares, religião, cultura, enfim, todos os aspectos sociológicos que envolvem os seres humanos. O aumento da população mundial é preocupante na medida em que nem tudo pode ser de igual distribuição criando mais e mais desigualdades. Nos anos 1950 o Clube de Roma afirmava que a população crescia em razão geométrica enquanto que a produção de alimentos crescia em razão aritmética. Acabou não sendo verdade. Nossa capacidade de gerar conhecimento e tecnologias superou todas essas expectativas. E assim vai continuar sendo.

O segundo elemento de importância é o ambiental natural e suas transformações para atender as necessidades da humanidade. Tivemos períodos importantes como a Revolução Industrial, a Química, a Genética, a Revolução Verde e, recentemente, Mudanças Climáticas. No ano passado, tivemos o vírus corona chinês e a doença (gripe) COVID 19, e vamos ver o que inventam para este ano e os próximos? O certo é que precisamos atentar para as quatro necessidades fundamentais da humanidade que o ambiente nos oferta: a) alimentos (água é alimento); b) abrigo (segurança); c) mobilidade (transportes); e d) energia, de preferência renovável e limpa.

O terceiro elemento é o político estratégico, normalmente mal conduzido por pessoas pouco qualificadas e inescrupulosas. Os regimes políticos não permitem ações de continuidade. O nosso Grupo utiliza a figura de uma moldura (framework) em que os lados são um de interesse público e outro privado e os outros dois são de Sistemas de Produção, acima, e outro de Modelos de Gestão Ambiental, embaixo, na qual se inserem quatro quadrantes, a saber: a) o primeiro da sociedade e do país como um todo, é de interesse privado; b) o segundo é de governo ou público nacional nos seus diferentes níveis de interesse público; c) o terceiro é o de interesse público internacional e/ou intergovernamental, onde as questões globais são tratadas; e d) o quarto quadrante que é o do Terceiro Setor, também privado como o primeiro, mas fundamental para um governo pequeno e enxuto, quando nacional, e ONG´s internacionais quando tratam de questões globais.

A Visão Local é focada no Imóvel Rural

No passado recente quisemos usar de “Fazendas Modelo” e de Planos de Desenvolvimento Integrado (PDI´s) e também de Planos de Desenvolvimento Rural Integrado (PDRI´s), bem como de Projetos Públicos de Irrigação (PPI´s), nenhum deles resultando em propostas bem sucedidas, com raríssimas exceções.

O que estamos propondo introduzir, de fato, é a visão local do imóvel rural naquilo que é exigido pelo governo de georreferenciamentos, CCIR, ITR, CAR, PCA/RCA, CPF e/ou CNPJ, DREI, NIRE, INPI, e por alvarás, licenciamentos (LP, LI e LO), e outorgas além de muitas outras exigências para se trabalhar nesse nível de imóvel ou de propriedade rural.

Nesse nível e em qualquer outro é base comum o Antropológico, ou seja, atenção para o indivíduo e dele em sua família, raramente considerado como deve. Também é raramente considerado o aspecto fundiário, ou seja, o do imóvel em sua trajetória histórica de usos e transformações para cumprirem com determinadas funções ao longo do tempo e de como se encontram no momento atual, ou seja, o estado da arte ou Marco Zero (Base line) e seu respectivo diagnóstico.

Nesse nível do imóvel rural é importante que se introduza o conceito de Ciclo Hidrológico Curto (CHC), ou seja, da água que entra no imóvel, de como é tratada – estocada e reservada – da que é usada para diferentes fins, e da água que sai seja por infiltração, evapotranspiração e por escorrimento superficial ou ainda a água biológica exportada em produtos agrícolas.

Outro aspecto importante é a introdução e o fortalecimento do conceito de Cadeia de Produção Curta (CPC), isto é, de produtos alimentares com nenhum ou pouco processamento desde o produtor até o consumidor final.

Estamos lançando a Revolução Sempre Verde!

Este é o último Post que trata de nivelar diferentes expressões e significados que se referem à Agricultura Irrigada, inclusive relacionados com metodologias e com materiais e métodos. As Postagens seguintes terão como enfoque as questões institucionais envolvidas no modelo StartACT/SCP a começar por um detalhamento do que é e como atuam a ABADES, o Consórcio BRAF, o que vai ser o 1º Fórum Mundial da Agricultura Tropical, e do próprio modelo do StartACT/SCP, além é claro da Governança Corporativa a ser instalada logo que assinado o Contrato de constituição da StartACT/SCP já devidamente aprovado.

Glossário

Como final dessa 2ª Edição do Blogue Agricultura Irrigada é feita uma lista alfabética de alguns termos do domínio de conhecimento com a definição desses termos. O glossário contém explicações de conceitos relevantes do nosso campo de estudo que é a Agricultura Irrigada (de precisão) para o desenvolvimento da Agricultura Tropical do Planeta.

ABADES

A Agência Brasil-África para o Desenvolvimento Econômico e Social (ABADES) é uma sociedade civil de direito privado, sem fins lucrativos, que reúne representantes do empresariado e dos trabalhadores, profissionais autônomos, pesquisadores, comunicadores, cientistas e produtores de arte e cultura, consumidores, entidades da sociedade civil organizada e do governo, com prazo de duração indeterminado, tendo como sede e foro a cidade de Brasília, Distrito Federal, regendo-se pelo seu Estatuto e pelos dispositivos legais que lhe forem aplicáveis. Coordena, promove e executa ações que visam ao desenvolvimento de cadeias agroprodutivas, nas suas relações societárias e aprimoramento de processos e sistemas de produção sob as coleções de normas ISO 9.000 e 14.000, com qualidade e competitividade e enfoque na efetividade – satisfação da clientela, e valorização do capital ambiental e humano envolvido, e que contribuam para a melhoria dos agroprodutos e agroserviços brasileiros e da Região Tropical do Planeta.

Agricultura

É a cultura agrícola de um povo, comunidade ou família que se dedica à produção de alimentos, bebidas, fibras, fármacos, óleos essenciais, plantas ornamentais e bioenergia. Com a prioridade em água pretende-se que a cultura agrícola da sociedade inclua nas produções que executa também a produção de água bruta e produzida (recursos hídricos).

Agricultura Irrigada

A agricultura irrigada é a cultura agrícola, que tem de arte e de ciência, no uso e manejo sustentável da água para a produção de alimentos e dela própria. A agricultura irrigada, diferente de irrigação agrícola, mas que a contém se fundamenta na drenagem e no adequado manejo das relações água, solo, planta e atmosfera, com monitoramento diário, durante o ano todo, objetivando a produção de água e a produção de alimentos e de bioenergia. – e. Wagner 2016.

“Agricultura de Precisão”

A Agricultura de Precisão têm sido descrita pelo objetivo de identificar a diversidade espacial e temporal no campo em busca de melhorias no manejo dos cultivos, reduzir a variabilidade dos solos das áreas produtivas, aperfeiçoar o uso de insumos agrícolas o que inclui a água, reduzir custos de produção e aumentar produtividades, sempre em atenção á proteção ambiental. Melhor seria considerar a Agricultura de Precisão como a aplicação de técnicas de agronomia (ciências agrárias) e de engenharia (ciências exatas) objetivando ganhos em eficiência (processos), eficácia (produtos) e efetividade (satisfação do usuário/cliente).

Agricultura Tropical

O mesmo que Agricultura de Clima Tropical (ACT) é a que se pratica ou que se venha a praticar na Região Tropical do Planeta, futuro da produção de alimentos e de água, de fibras e de bioenergia. Os limites básicos dessa região se dão pelos Trópicos de Câncer e de Capricórnio, respectivamente paralelos 23o Norte e Sul. Algumas áreas da Região Subtropical (paralelos 35o N e S) poderiam ser incluídas na região tropical de interesse.

Água bruta (Raw water)

É a água encontrada na natureza sob as formas líquida (mares, oceanos, rios e lagos), sólida (em geleiras) e gasosa (nas nuvens), e que representa um total de 1.385.932.800 km3 dos quais 97,436% são de águas salgadas e salobras, inclusive águas salinas subterrâneas e em lagos.

Água doce (Fresh water): natural e produzida

A água doce é a utilizada para consumo pelos seres vivos – humanos, vegetais e animais – e que pode ser encontrada sob a forma de gelo/neve nas calotas polares e glaciais e em geleiras subterrâneas/permafrost somando 1,745% do total, e pela água doce do nosso interesse, normalmente com algum tratamento antes de utilizar no total de tão somente 0,77%, correspondendo a água doce subterrânea 0,76% e o restante (0,01%) de água doce em lagos, pântanos, rios, água na atmosfera, nos solos e água biológica. Em suma, é uma parte muito pequena da água doce do planeta que precisa que a irrigação a utilize com grande parcimônia. A Agricultura Irrigada de Precisão é a salvação!

Agronegócio

Envolve a Cadeia de Produção completa, desde a biodiversidade até a produção primária e inclui agroindústria de processamentos, transportes, armazenamentos, distribuição e entrega inclusive o consumidor final. Compreende também as Cadeias de Logística, de Custódia e de Valor. Para os nossos propósitos o conceito vai até o pós-colheita, sem entrar em processamentos agroindustriais, logística de distribuição e entrega e os consumidores. É a ação do Setor Primário.

Cadeia de Produção Curta

Esse não é um conceito novo, mas que pode ser inovador na medida em que se o aprimore. Tem sido utilizado em produções hortigranjeiras, normalmente hortaliças entregues para consumo in natura, bastando tão somente adotar os princípios e fundamentos da Agricultura Irrigada.

Ciclo Hidrológico Curto

Esse é um conceito novo e inovador que encerra a base da Agricultura Irrigada e é definido pelo ciclo das águas que se dá no interior do prédio ou propriedade rural pelo balanço e análise da água que entra, da que é estocada e reservada no imóvel, da que é utilizada para diversos fins, e da água que sai em escoamentos a jusante dos limites do imóvel.

Consórcio BRAF

A figura de Consórcio de Empresas decorre da necessidade de integração entre instituições capazes de aportar com serviços de grande porte que uma só não o poderia fazer. O Consórcio BRAF (Brasil-África) resulta da reunião integrada entre quatro empresas, a saber: a ABADES, empresa líder do Consórcio; a BRASPLAN, com quase 40 anos de experiência em projetos agrícolas nos Cerrados; a Vetor Agroambiental, empresa EIRELI; e a GranTRADE, empresa de cabotagem, transportes e importações e exportações.

Credibilidade

Credibilidade é a palavra chave vinculada àquilo em que se pode crer (credere) e que é verossímil, ou seja, característica de quem ou do que é crível e confiável e significa credulidade/crença, uma das características mais importantes para o nosso Empreendimento StartACT/SCP.

Crédito Rural

O mesmo que Crédito Agrícola, no sistema bancário financia o custeio de despesas normais dos ciclos produtivos, em bens e/ou serviços, comercialização e industrialização. Visa a aumentar a produtividade dos recursos à vista no setor e gerar renda na agricultura familiar. Para a Agricultura Irrigada o Crédito Rural significa o Sócio Participativo acreditar no processo de bem produzir que, por sua dinâmica, exige uma disponibilidade de recursos a sua disposição dentro de um ano agrícola ou mesmo fiscal, e não para cada commodity, ação ou atividade.

Drenagem Agrícola

Trata do manejo da água em nível do imóvel rural com remoção de sais, quando for o caso, e alocação dos excessos de água no solo numa razão que permita o estabelecimento e crescimento normal dos cultivos, e pode ser dividida em Drenagem Natural e Drenagem Artificial, sempre objetivando a estocagem e a reservação de água sobre e nos solos. Na Agricultura Irrigada é o projeto que primeiro avalia e propõem ações para o manejo integrado de águas no imóvel rural.

Fórum Mundial da Agricultura Tropical

Evento presencial e virtual que deverá se realizar a cada dois anos para a apresentação e avaliação de novos conhecimentos e tecnologias para o desenvolvimento ordenado e racional da Agricultura de Clima Tropical, baseada em práticas de Agricultura Irrigada e de Engenharia de Precisão.

Financiamento

Representa um crédito vinculado à aquisição de determinado bem, podendo ter a intervenção de instituição financeira ou diretamente com o fornecedor do bem. Essa é uma definição convencional do sistema financeiro nacional normalmente exigindo comprovações específicas de execução e garantias, até mesmo hipotecárias. Para a Agricultura Irrigada de Precisão os projetos que demandam financiamentos fazem parte das ações estruturantes (ações meio) e dos Planos Anuais de Trabalho (PAT) do imóvel como um todo, ou seja, da Gestão do Projeto.

Gestão do Projeto

Administra a Fazenda como um todo em seus propósitos estratégicos, estruturantes e finalístico-integrativos, segundo os princípios preconizados pelo PMI – Project Management Institute e pelo PMBOK – Project Management Book of Knowledge, com projetos/ações e atividades consolidados em Planos Anuais de Trabalho – (PAT).

Gestão por Projetos

Trata do gerenciamento das ações e atividades finalístico-integrativos que se realizam na produção de commodities/outros produtos agrícolas e projetos de atividade meio consolidados em Planos Anuais de Trabalho (PAT).

Imóvel Rural

O mesmo que estabelecimento ou propriedade ou ainda arrendamento, parceria, que tenha escritura ou contrato firmado de uso.

Integração

Integração é o ato ou efeito de integrar, de inclusão do novo, de formar um todo, ou seja, de o tornar inteiro ou completo.  Uma atitude integradora requer sinergia, muita integração e credibilidade. Sobre o que estamos avaliando seria integração da chuva natural com chuva artificial, da química orgânica com a química inorgânica, da irrigação com drenagem, do financiamento com crédito, de lavouras com pecuária e deles com florestas, integração da gestão do projeto com integração de gestão por projetos, integração no controle de pragas, e a integração profissional, principalmente das engenharias ligadas à Ciências Agrárias (Agronomia) com as Ciências Exatas.

Investimento

Em economia, investimento significa a aplicação de capital com a expectativa de um benefício futuro. O investimento produtivo se realiza quando a taxa de lucro sobre o capital supera ou é pelo menos igual à taxa de juros ou quando os lucros sejam maiores ou iguais ao capital investido. Na Agricultura de Clima Tropical/empreendimento StartACT/SCP, os investimentos se fazem por investidores em trabalho/produção, investidores de capital, de insumos e serviços, e por investidores em conhecimento.

Irrigação

É a captação artificial de água e aplicação para suprir as necessidades das plantas cultivadas (crop irrigation), usualmente entendida por envolver barragens, poços, canais e distribuição de água bruta e/ou produzida.

Irrigação Natural

Significa a água da chuva e de outras formas de precipitação que caem sobre o imóvel rural como um todo servindo à irrigação (suprimento de água) de plantas cultivadas e nativas.

Sinergia

Sinergia significa ação associada de dois ou mais órgãos, sistemas, elementos anatômicos e/ou biológicos, cujo resultado é um movimento ou a realização de uma função orgânica, ação de esforços simultâneos e coesos ou operações entre associados.

Sócio Ostensivo

Na SCP a atividade constitutiva do objeto social é exercida unicamente pelo Sócio Ostensivo, em seu nome individual e sob sua própria e exclusiva responsabilidade, participando os demais dos resultados correspondentes. Obriga-se perante terceiros tão-somente o Sócio Ostensivo e exclusivamente perante este o Sócio Participante ou Participativo, nos termos do Contrato Social. É quem de fato atua na sociedade, seja contratando funcionários ou realizando atividades empresariais diversas, compreendendo: a) Gestão e organização do empreendimento; b) Admissões e demissões de funcionários; c) Recolhimentos fiscais e de tributos; e demais atividades empresariais.

Sócio Participativo

Os quatro tipos de investidores ou Sócios Participativos (SP) são: 1) SP Investidores na Produção Agrícola (Produtores Rurais); 2) SP Investidores de Capital (CPF e CNPJ); 3) SP Investidores de Experiência (Fabricantes e supridores de insumos em geral, de máquinas e equipamentos, projetistas e técnicos de assistência); e 4) SP Investidores em Conhecimento (Geração, validação e transferência de tecnologias). Ao Sócio Participativo compete: a) Participar e colaborar com o Sócio Ostensivo; b) Evitar interferir em assuntos de terceiros relacionados à sociedade podendo, no entanto, optar por dividir certas atividades ou atuar um pouco mais na sociedade; e c) Ter todas as condições detalhadas no Contrato da SCP e no Regimento Interno.

StartACT/SCP

Startup é o ato de começar algo relacionado com companhias e empreendimentos que estão no início de suas atividades e que buscam explorar atividades inovadoras no mercado. No Brasil, a partir de 2010, os treze principais Startups se referem a monitorar máquinas e controle de pragas em nível de fazendas, uso de drones e processamento de imagens, processos de revendas, monitoramento a distância, resiliência á mudanças climáticas, gestão agrícola e de imóveis, dados estatísticos nacionais e internacionais, AGFINTECH de segurança em operações Barter, e informações de preços de insumos e de produtos. No caso da StartACT/SCP é usado um modelo de negócio (governança corporativa) que como forma do empreendimento gera valor para os sócios participativos.

Estamos lançando a Revolução Sempre Verde!